Seguidores

2 de jun de 2012

Odisseia - Homero - adaptação de Roberto lacerda

Depois da leitura da obra, os alunos das sextas séries apresentaram aos  colegas, um pouco da experiência com o texto Odisseia. As fotos contemplam um pouco esse momento.






26 de mai de 2012

História e Língua Portuguesa se unem para trabalhar Odisseia, grande clássico da Literatura


“As Diretrizes Curriculares Nacionais orientam para a relação e aproximação das disciplinas, com o intuito pedagógico da interdisciplinaridade, da contextualização, da identidade, da diversidade e autonomia. No ensino da História, por exemplo, é possível trabalhar conteúdos que abrangem a Geografia, a Literatura, a Filosofia, a Biologia, a Química e muitos outros. Portanto, na área do conhecimento referente à História estão inseridos os mais variados aspectos que devem ser explorados.” (Ana Lídia Lopes do Carmo.http://www.infoescola.com/pedagogia/interdisciplinaridade-no-ensino-de-historia/)

A prática interdisciplinar é um esforço de superar a fragmentação do conhecimento, buscando, assim, a relação entre as disciplinas no momento de enfrentar temas comuns de estudo. A utilização de materiais diversificados no ensino da História, notadamente da Literatura, propicia uma maior exploração e visualização do conteúdo, permitindo diferentes enfoques. O trabalho com o domínio da linguagem se dá de maneira especial, voltada para a leitura e compreensão de textos, charges e história em quadrinhos, permitindo um aprofundamento do conteúdo da disciplina de História e na disciplina de Língua Portuguesa com diferentes estilos textuais.

Remís, professora de História, trabalhou com seus alunos os textos abaixo.

MULHERES DE ATENAS

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos, orgulho e raça de Atenas
Quando amadas se perfumam,
Se banham com leite, se arrumam
Suas melenas
Quando fustigadas não choram
Se ajoelham, pedem, imploram                                            
Mais duras penas
Cadenas

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Sofrem por seus maridos, poder e força de Atenas
Quando eles embarcam, soldados
Elas tecem longos bordados
Mil quarentenas
E quando eles voltam, sedentos
Querem arrancar violentos
Carícias plenas
Obcenas

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Despem-se pros seus maridos, bravos guerreiros de Atenas
Quando eles se entopem de vinho
costumam buscar o carinho
De outras falenas                                                
Mas no fim da noite, aos pedaços
Quase sempre voltam pros braços
De suas pequenas
Helenas


Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Geram pros seus maridos os novos filhos de Atenas
Elas não têm gosto ou vontade
Nem defeito nem qualidade
Têm medo apenas
Não têm sonhos, só têm presságios                               
O seu homem, mares, naufrágios
Lindas sirenas
Morenas


Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atena
Temem por seus maridos, herois e amantes de Atenas
As jovens viúvas marcadas
E as gestantes abandonadas
Não fazem cenas
Vestem-se de negro, se encolhem
Se conformam e  se recolhem
Às suas novenas
Serenas

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Secam por seus maridos, orgulho e raça de Atenas


(BUARQUE, Chico, BOAL, Augusto. In: Chico Buarque – letra e música. São Paulo: Companhia das letras, 1989. p. 144)


 “Mulheres de Atenas” faz referência a aspectos da sociedade ateniense do período clássico e a alguns episódios e personagens da mitologia grega. Os autores realizam um trabalho apurado com a linguagem, no que se refere tanto à construção das frases quanto à seleção e ao emprego das palavras. Para estudarmos esse texto, necessariamente teremos de percorrer os caminhos da história, da mitologia, e reconhecer o diálogo aberto com outros textos. (Marisa Stef)




1. Como o compositor retrata as mulheres de Atenas na letra da música?

2. O que o compositor pode estar querendo dizer com a frase: “Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas”?



Leia os textos e responda:

A educação em Esparta
Quando uma criança nascia, os pais não tinham direito de criá-la: deviam levá-la a um lugar chamado lesche. Lá os anciãos da tribo examinavam o bebê. Se o achavam bem encorpado e robusto, eles o deixavam. Senão jogavam-no no abismo. PLUTARCO. A vida de Licurgo. www.dominiopublico.com.br
 
A educação em Atenas
Assim devemos pensar que todas as classes têm sua virtude própria, como disse das mulheres o poeta: “Para uma mulher, o silêncio é fator de beleza”, o que não é válido para um homem. ARISTÓTELES. Política.
www.saibamais.com.br

Quais eram os objetivos da educação espartana e ateniense?


1)                 No regime democrático ateniense, as decisões eram tomadas pelos votos dos cidadãos na Assembléia. Hoje, no Brasil, algumas escolhas são feitas através do voto. Um bom exemplo é a escolha do representante da sua turma. Ele foi eleito por seu voto e de seus colegas ou não? Você considera essa escolha democrática?



2)                 Assista ao vídeo disponível: http://www.savevid.com/video/o-que-notcia.html e responda:
O que é notícia?



3)                 Procure em um jornal uma notícia sobre a Grécia atual e cole no espaço abaixo.


4. Pelo que você leu da notícia acima, a Grécia atual mantém semelhanças com a Grécia do período da Antiguidade?











 

5 de abr de 2012

O Mistério das Aranhas Verdes ainda é cenário de descoberta

Após a leitura do livro "O  Mistério das Aranhas Verdes, escrito por Carlos Heitor Cony e Anna Lee, os alunos contaram em palavras e imagens as aventuras de Carol. Depois, em sala de aula, dividiram com seus colegas o trabalho que realizaram na informática.













O Mistério da Aranhas Verdes povoa o universo das Sextas Séries

Após a leitura do livro "O  Mistério das Aranhas Verdes”, escrito por Carlos Heitor Cony e Anna Lee, os alunos contaram em palavras e imagens as aventuras de Carol. Depois, em sala de aula, dividiram com seus colegas o trabalho que realizaram na informática.